Azeites adulterados: Saiba como evitar a compra desses produtos

Uma das fraudes mais comuns encontradas em azeites adulterados é a diluição de azeite extravirgem com outro tipo de óleo. Conheça outras fraudes e como evitá-las. O azeite é um dos alimentos mais importantes para uma alimentação saudável. Um dos motivos é seu bom uso na culinária e os benefícios que traz para a saúde. […]

Azeites adulterados: Saiba como evitar a compra desses produtos

Uma das fraudes mais comuns encontradas em azeites adulterados é a diluição de azeite extravirgem com outro tipo de óleo. Conheça outras fraudes e como evitá-las.

O azeite é um dos alimentos mais importantes para uma alimentação saudável. Um dos motivos é seu bom uso na culinária e os benefícios que traz para a saúde. Porém, frequentemente, são noticiadas matérias sobre azeites adulterados.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), apenas em 2021 foram apreendidas cerca de 150 mil garrafas que continham produtos fraudados

Os principais motivos para que o azeite seja adulterado são a escassez do produto, alta demanda e valores altos da matéria-prima. Ou seja, para algumas empresas, principalmente envasadoras, sai mais barato adulterar o líquido do que investir mais para uma produção de qualidade. 

Neste artigo, você vai saber quais são as adulterações mais comuns e como evitar a compra de produtos adulterados. Acompanhe!

Adulterações mais comuns

O azeite de oliva é o segundo produto alimentar mais adulterado no mundo. Por isso, possui diversos tipos de adulterações. 

Mas, uma das mais comuns é a diluição do azeite extravirgem com algum óleo, podendo ser o de soja, por exemplo. 

Outra fraude que ocorre é a mistura de todos, ou quase todos, os azeites. Além disso, pode ser incluído o óleo de bagaço da azeitona ao líquido. 

Ao fazer essa união de azeites de oliva, o produtor está infringindo a legislação, já que esses produtos não podem ser vendidos juntamente com a nomenclatura de “azeite extravirgem” ou “azeite virgem”. 

Muitos azeites, também, podem ser encontrados adulterados com corantes e aromatizantes artificiais para simular o cheiro ou a cor do produto. 

Fraudes no Brasil

O Brasil é um dos países que mais possuem azeites de oliva fraudados. Especialistas acreditam que isso acontece porque o País ainda não possui uma padronização de avaliação igual às que ocorrem em outros países, como Espanha e Grécia. 

Além disso, a enorme ampliação do lucro está entre uma das razões que fazem com que o azeite de oliva seja adulterado. 

No País, os órgãos que trabalham na fiscalização de alimentos, entre eles os azeites de oliva, são o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). 

Azeites adulterados: Saiba como evitar

Ninguém quer comprar uma coisa e levar outra, certo? Para te ajudar a evitar a compra de azeites fraudados, nós separamos cinco dicas de ouro para você levar um bom produto para a casa. Confira!

Dica 1 – Preste atenção no rótulo

É importante, antes de colocar o produto no carrinho, verificar o rótulo. As informações mais relevantes são encontradas nesta parte da embalagem. 

Produtos produzidos e envasados no mesmo local diminuem as chances de adulteração, apesar de não haver garantia que isso não ocorra. Fuja de azeites feitos em um país e embalados em outro.

Dica 2 – Fique atento aos preços

Um azeite de oliva extravirgem, sendo nacional ou importado, possui um preço razoavelmente alto. Se você encontrar produtos ditos 100% extravirgem mas com preços muito baixos é capaz de estar com algo errado.

Dica 3 – Escolha produtos fabricados há pouco tempo

Quanto menos tempo de fabricação ou envase, menos chances do produto ter sofrido oxidação e mais nutrientes e benefícios o azeite de oliva irá ter.

Busque entender o processo de produção e quem o produz. Produtores idôneos mantêm seu azeite armazenado em tanques de aço inox com nitrogênio em sala refrigerada, garantindo o frescor por muito mais tempo.

Dica 4 – Prefira produtos com embalagem escura

Um azeite de oliva dentro de uma embalagem clara ou transparente tem mais probabilidade de sofrer oxidação. 

Por isso, produtos em embalagens escuras têm maior probabilidade de estarem mais frescos, desde que tenham tido um processo cuidadoso e armazenagem controlada.

O motivo é que o azeite de oliva não pode ter contado com a luz nem calor, seja artificial ou solar, pois isso pode oxidar todos os seus componentes.

Dica 5 – Adquira produtos de marcas confiáveis 

A última dica, mas é uma das mais importantes, diz respeito a preferir azeites de oliva produzidos por marcas confiáveis. 

No Lagar H, por exemplo, as azeitonas são cultivadas, colhidas e passam pelo processo de extração de azeites de oliva extravirgem no mesmo local. Isso ajuda a manter o frescor, sabor e aroma do produto.

Além disso, os azeites são envasados em garrafas escuras invioláveis garantindo a qualidade e o controle em todo o processo de produção.

Em conclusão, por vivermos em um dos países em que a adulteração de azeites de oliva é tão recorrente, é necessário tomar todos os cuidados para comprar produtos originais.

Portanto, ao comprar um azeite de oliva é essencial seguir estes e outros passos para adquirir os produtos certos e fugir de azeites adulterados. 
Se você está buscando por azeites de oliva extravirgem 100% brasileiros, acesse o catálogo do Lagar H e encontre o produto ideal para sua refeição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.